Conceitos de Iluminação | Brilia
Você está em BRILIA PRO

Elétrica

Tensão Elétrica

Às vezes chamada de “voltagem”, é a diferença de energia estabelecida entre dois pontos, que motiva a movimentação de cargas elétricas. A unidade de medida é o Volt, simbolizado pela letra V.

Potência Elétrica

A potência elétrica é definida como a capacidade de uma fonte de tensão elétrica realizar um trabalho, por um determinado período. A unidade de medida é o Watt, simbolizado pela letra W.

Corrente Elétrica

Também conhecida pelo termo “amperagem”, é um fluxo de elétrons que circula em um condutor quando há diferença de potencial, ou seja, tensão elétrica. A unidade de medida é o Ampere, simbolizado pela letra A.

Corrente Alternada (AC)

É um tipo de corrente elétrica, caracterizada por mudanças ao longo do tempo, em intensidade ou direção, em intervalos regulares.

Corrente Contínua (DC)

É um tipo de corrente elétrica com o fluxo ordenado, sempre numa direção, em um determinado período.

Proteção e Vida Útil

Índice de Proteção
Padrão internacional que especifica níveis de proteção do equipamento em relação ao ambiente. O código IP é composto de dois dígitos: o primeiro (0-6) é relativo à proteção contra objetos ou materiais sólidos e o segundo, relativo à proteção contra água (0-8).

VIDA ÚTIL
É a expectativa de durabilidade de uma fonte luminosa. A maior parte das normas internacionais, atualmente considera que o término da vida útil de uma fonte luminosa ocorre quando a mesma atinge 70% do fluxo luminoso inicial (L70).

Medindo a Luz: intensidade e qualidade

Fluxo luminoso

É a radiação total emitida em todas as direções por uma fonte de luz que pode produzir estímulo visual. A unidade de medida é o Lumens, simbolizado pelas letras lm.

Intensidade Luminosa

É a concentração de luz numa dada direção específica, irradiada por segundo. A unidade de medida é a Candela, simbolizada pelas letras cd.

Iluminância

É a quantidade de luz presente em um ambiente ou superfície. A unidade de medida é o Lux, simbolizado pelas letras lx.

Eficiência Luminosa

É o fluxo luminoso dividido pela quantidade de energia total consumida, denominado em lm/w (lumen/watt). Por exemplo, se uma lâmpada consome 10W e gera 1000 lumens, sua eficiência é de 100 lumens por watt. Assim, a cada 1 watt de energia que consome, ela é capaz de gerar 100 lumens.

Fotometria

Métodos e processos de medição de fluxos luminosos e das características associadas a tais fluxos.

Ângulo de abertura do facho de luz

É o ângulo formado pelo cone de luz projetado pela fonte luminosa. A Brilia utiliza como critério 50% da intensidade luminosa máxima para determinar o ângulo de seus produtos.

Temperatura de cor

Luz Quente
De aparência amarelada, tem baixa temperatura de cor. Normalmente usamos cores mais quentes quando buscamos aconchego ou relaxamento.

Luz Fria
De aparência azul, tem temperatura de cor maior que 5000K. Normalmente usamos cores mais frias quando desejamos produzir ambientes de maior atenção a detalhes e concentração.
A temperatura de cor é denominada em graus kelvin (K). A luz quente está entre 2700K e 3200K, e quanto mais este número aumenta, mais fria vai ficando. No mercado, as temperaturas de luz frias mais comuns estão entre 5000K e 6500K.

Espectro de Luz
Espectro visível (ou espectro óptico) é a porção do espectro eletromagnético, cuja radiação composta por fótons pode ser captada pelo olho humano. O LED emite luz somente na banda visível do espectro, logo, seu facho de luz é livre de calor e radiações IR e UV.

Índice de Reprodução de Cor / R9
O Índice de Reprodução de Cor (IRC, CRI ou Ra) é uma métrica de acordo com a CIE 13.3 (Comission Internationale de l´Eclairage), que tem como finalidade mensurar a fidelidade que a fonte luminosa tem de reproduzir as cores. Atualmente, a análise de fidelidade é feita considerando 14 cores (R1 a R14), incluindo cores puras, que representam cores saturadas. Uma delas é o vermelho (R9), que tem gerado atenção pelo fato da reprodução desta cor ser geralmente mais crítica na tecnologia LED. É importante estar atento que, para a correta reprodução da cor vermelha, o valor do índice R9 deve ser maior do que 0. Nessa relação, para um melhor resultado, recomenda-se a utilização de fonte de luz com R9 ≥50.

Portaria n.º 389 – de 25 de agosto de 2014.
Kathryn Nield – CIE Central Bureau – October 15, 2015

TM-30
O TM-30 é o novo método de medição de reprodução de cor de fontes luminosas, desenvolvido pela IES (Illuminating Engineering Society).
A métrica de avaliação é realizada tendo como base dois componentes: Rf e Rg.
Similar à métrica de IRC, o Rf é um índice que mede a capacidade de reprodução de cor baseada em uma paleta de 99 cores.
O Rg representa a saturação média (reprodução da cor com naturalidade) de uma determinada fonte de luz, quando comparada a uma fonte luminosa referência. Valores superiores a 100, representam um acréscimo na saturação média, enquanto valores menores do que 100, representam um decréscimo na saturação média da fonte luminosa. Ou seja, quanto mais próximo do 100, melhor o Rg.

Bases de Conexão
Para permitir a fácil e segura conexão à rede elétrica, a família de lâmpadas LED Brilia possui as seguintes bases:

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this